You are here

Share page with AddThis

Conheça a obra técnica que traz conhecimento sobre formigas nas cidades

Institucional
02.04.2018

Com mais de 1.500 espécies presentes no Brasil, as formigas são insetos fascinantes por sua capacidade de organização e importância aos ecossistemas, porém algumas dezenas delas causam desde incômodos até prejuízos financeiros e de saúde e podem ser consideradas pragas difíceis de conter.

Para promover conhecimento sobre elas e, por consequência, entendimento quanto às formas de manejo deste que é um problema em muitas cidades, o Instituto Biológico do Estado de São Paulo, com o apoio da Syngenta, lança o livro “Formigas Urbanas”, que aborda, além de aspectos biológicos e características das principais espécies destes insetos, informações importantes quanto ao seu controle integrado. 

A obra ilustrada com fotos de alta resolução e escrita pelos pesquisadores do Instituto Biológico Ana Eugênia de Carvalho Campos, Francisco José Zorzenon e João Justi Junior, coloca de maneira bem prática o tema– o que pode apoiar e ajudar muitas empresas especializadas no controle de pragas. Os livros podem ser comprados pelo e-mail do Instituto Biológico [email protected]

A IMPORTÂNCIA DA INFORMAÇÃO PARA O CONTROLE

Todo organismo que causa algum problema à humanidade, às plantas cultivadas ou aos animais necessita ser controlado. E no caso das formigas, pequenas e aparentemente inofensivas, não é diferente.

Nesse contexto, o conhecimento da biologia das diferentes espécies é essencial para um manejo e controle efetivos, tanto que levou o Instituto Biológico do Estado de São Paulo, com apoio da Syngenta, a lançar o livro “Formigas Urbanas”, que aborda, além de aspectos biológicos e características das principais espécies destes insetos, informações importantes quanto ao seu controle integrado. 

Na área urbana, além de espécies importantes que compõem a vegetação, há populações numerosas de formigas com características biológicas que as permitem invadir outros ambientes. Nesses casos, elas podem deslocar espécies nativas e dominar o local. Fatores como abrigo, água, comida e ausência de inimigos naturais favorecem a presença desses insetos.

Segundo os autores*, apesar de importante, o manejo destas pragas não pode ser feito indiscriminadamente. Um guia visual contido no livro, ilustrativo e prático, ajuda a identificar a espécie que causa o problema. Assim, as decisões sobre intervenções podem ser mais eficazes, uma vez que cada formiga tem um comportamento específico e, sem conhecê-la, fica difícil estabelecer o manejo adequado. Fazê-lo incorretamente pode vir a aumentar a população de formigas quando a intenção é diminuir a infestação, além de elevar o risco de intoxicação ou reações alérgicas em pessoas e animais, pelo uso inadequado de inseticidas. Assim, estratégias bem definidas e integradas são fatores decisivos para um controle eficiente.

Nas linhas a seguir você pode acompanhar a conversa que a equipe da Syngenta teve com os autores do livro – uma ótima oportunidade para obter ainda mais informações relevantes sobre o tema para aplicar em seu dia a dia.

1 - Qual importância de uma literatura específica sobre a biologia e controle de formigas em áreas urbanas?

Todo organismo que causa algum problema ao homem, às plantas cultivadas e animais e necessita ser controlado, precisa ser bem conhecido. Apesar das formigas desempenharem papel de extrema importância em todos os ecossistemas, algumas espécies podem causar problemas nos ambientes urbano e rural. Especificamente na área urbana, no Brasil, cerca de 30 espécies podem causar desde incômodo até choque anafilático por conta de suas picadas, sem esquecer que severos prejuízos financeiros são causados quando elas infestam equipamentos eletrônicos e prejuízos à saúde, quando infestam áreas hospitalares.

Diante disso, há necessidade de controle dessas espécies que possuem o status de praga. Para tanto, o conhecimento da biologia das diferentes espécies é essencial para um manejo e controle efetivos.

2 - Por que o grupo das formigas é tão presente em áreas urbanas? O que favorece tal distribuição?

Formigas são comuns em todos os ecossistemas, com exceção dos polos. Na área urbana, além de espécies importantes que compõem a vegetação urbana, ocorrem as espécies pragas, que na maioria das vezes, possuem populações com grande número de indivíduos e com aspectos biológicos importantes que as permitem invadir ambientes. Nesses casos, elas deslocam espécies de formigas e outros artrópodes nativos, dominando o ambiente. Tornam-se assim um problema aos olhos do homem, que passam a perceber sua presença no dia-a-dia.

Vários fatores presentes no ambiente urbano colaboram para a presença dessas espécies de formigas, como abrigo, água, alimento e ausência de inimigos naturais, especialmente outras espécies de formigas que não conseguem se adaptar ao ambiente urbano e poderiam ser excelentes competidores por espaço e alimento.

3 - No livro é indicada uma série de medidas para obtenção de resultados eficientes na diminuição de uma infestação de formigas. Dentre tais medidas, está a necessidade de ações integradas de controle químico. Gostaríamos de entender melhor porque se faz imprescindível adotar estratégias de controle químico bem definidas e integradas.

Estratégias bem definidas e integradas são fatores decisivos entre um controle eficiente ou o seu fracasso. Com o fracasso pode resultar em um aumento da infestação, pela parada temporária das atividades do ninho e posterior retorno sem afetar a população, pela seleção de espécimes resistentes aos produtos utilizados - resultando na necessidade de novas formulações e/ou produtos.  

4 - Qual a importância da correta identificação das espécies para o controle de formigas e, nesse sentido, como o livro pode contribuir com a atividade das empresas controladoras de pragas?

No livro foi elaborada uma chave pictórica bem simples, que foi testada por vários estudantes do Curso de Especialização em Entomologia Urbana (UNESP/Instituto Biológico). Tais alunos, ao testarem a chave, não dispunham de conhecimento aprofundado sobre o tema e conseguiram facilmente chegar ao nível de gênero e espécie, dependendo do exemplar de formiga avaliado, mesmo sem a intervenção da professora.

Acredito que esta chave auxiliará o controlador de pragas a identificar a espécie que está causando o problema, para que as decisões e intervenções de manejo e controle sejam efetivas. Cada formiga tem um comportamento de forrageamento, dispersão ou fragmentação, e sem conhecer a espécie e esses comportamentos, fica difícil estabelecer o manejo adequado. Um manejo ou controle aplicado de forma errada pode aumentar a população de formigas quando a intenção é diminuir essa infestação.


* A obra ilustrada com fotos de alta resolução e escrita pelos pesquisadores do Instituto Biológico Ana Eugênia de Carvalho Campos, Francisco José Zorzenon e João Justi Junior