You are here

Share page with AddThis

25 de abril Dia Mundial da Malária

Institucional
23.04.2018

UM COMPROMISSO FUNDAMENTAL: AJUDAR A SALVAR VIDAS
Em 25 de abril, data marcada pelo Dia Mundial da Malária, a Syngenta tem razões para celebrar e outras tantas para continuar trabalhando sem interrupções. 

Com um amplo trabalho realizado há mais de 10 anos, a empresa atua no combate a mosquitos resistentes a inseticidas, sobretudo à espécie transmissora da doença.

De acordo com o Relatório Mundial da Malária, produzido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016 foram 216 milhões de casos confirmados da doença – 5 milhões a mais que os do ano anterior – e 445 mil mortes. A África Subsaariana continua a ser a região que mais sofre com a malária, respondendo por 90% dos casos e 91% das mortes.

EXPERIÊNCIA E CONHECIMENTO COMO FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS
Com um amplo portfólio para o controle de pragas e vetores, bem como longas e estreitas colaborações com diversos parceiros, incluindo organizações de saúde, agências de ajuda humanitária e instituições acadêmicas, a Syngenta tem trabalhado para garantir a disponibilidade de produtos para o controle de mosquitos nas áreas afetadas e fornecer educação segura e eficaz sobre o seu uso.

Globalmente, a iniciativa focada neste setor promoveu uma significativa redução nas taxas de mortalidade global por malária (-29%), desde 2010, alcançada através do uso de mosquiteiros tratados com inseticidas e da utilização de sprays residuais internos. 

Antevendo um cenário de resistência à classe química utilizada, em 2008 a Syngenta iniciou uma jornada, em colaboração com o IVCC (Innovative Vector Control Consortium) – consórcio internacional do setor para o controle de vetores, que conta com o apoio financeiro de diversas entidades, incluindo a Fundação Bill e Melinda Gates – e desenvolveu uma solução que, com a recomendação da OMS, atualmente é utilizada em 32 países africanos, ajudando a proteger mais de 40 milhões de pessoas da doença.

Uma única aplicação, realizada nas paredes internas da casa, oferece controle por, pelo menos, 9 meses – três vezes mais que a proteção conferida pelos inseticidas já utilizados. Atualmente, estima-se que a solução já tenha reduzido a transmissão da malária em quase 40% no leste do Zimbábue e em até 60% no norte de Gana. 

Por meio de parcerias adicionais, como com a UNITAID – organização que investe em novas formas de prevenir, diagnosticar e tratar a AIDS, a tuberculose, e a malária de forma mais rápida, econômica e eficaz – a empresa tem dedicado esforços para garantir que o maior número de comunidades vulneráveis tenha acesso à solução. Com isso, além de contribuir para o cumprimento de um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU), que é o de assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades, a Syngenta busca contribuir para a manutenção da saúde e qualidade de vida de todas as comunidades em que atua.

Fonte:
IVCC - Innovative Vector Control Consortium. Disponível em:. Acesso em: 20/04/2018.
Relatório Mundial da Malária 2017. Geneva: Organização Mundial da Saúde; 2017. Disponível em:. Acesso em: 20/04/2018.
OMS Recomenda Formulação Residual Syngenta. Disponível em: Acesso em: 23/04/2018.
Syngenta trabalha em parceria com IVCC. Disponível em:. Acesso em: 20/04/2018.