You are here

Share page with AddThis

Microcápsulas: o poder da tecnologia iCap no controle de pragas

Saúde Pública
14.03.2021
Microcápsulas o poder da tecnologia iCap no controle de pragas

Microcápsulas são cápsulas pequenas que se dissolvem para liberar o conteúdo que há dentro delas. Elas estão presentes, por exemplo, nos inseticidas, abrigando os ingredientes ativos que agem quando entram em contato com os insetos. 

Além da procedência dos ativos, a estrutura das microcápsulas é muito importante para um controle efetivo e facilitado das pragas-alvo. Para saber mais sobre como essa tecnologia atua na prática, continue a leitura.

Microcápsulas: como elas influenciam a qualidade do inseticida

Você sabia que o tamanho das microcápsulas é um dos pontos que afetam diretamente o desempenho do inseticida? Muitas superfícies, como o concreto, a madeira e o gesso, são surpreendentemente heterogêneas. 

Isso significa que, em uma escala microscópica, fendas, poros e cavidades são facilmente identificados mesmo nas superfícies mais lisas. Se as microcápsulas do inseticida forem menores do que 5μm (micrômetro*), elas podem ser rapidamente absorvidas por essas cavidades.

Como as pernas dos insetos são muito maiores do que esses poros, elas não entram em contato com as cápsulas que foram absorvidas nessas estruturas. Como consequência, o inseticida não atinge seu alvo, ou seja, não gera um controle efetivo da praga.

Uma aplicação de qualidade depende tanto da técnica do aplicador, quanto da distribuição uniforme do produto em determinada área. Microcápsulas muito grandes também podem afetar a eficácia do tratamento, já que concentram muito ativo em pontos específicos da superfície de modo não homogêneo: em uma microcápsula de 40μm, por exemplo, há 8 vezes mais ativo do que uma microcápsula de 20μm.

Nos anos 50, pesquisas demonstraram que partículas entre 10 e 25μm eram carregadas mais facilmente por mosquitos. Estudos recentes realizados pelos laboratórios da Syngenta confirmaram essa análise também com baratas e moscas. Levando esses pontos em consideração, a empresa aprofundou seu conhecimento no assunto e desenvolveu Demand CS, inseticida pioneiro no mercado com a tecnologia iCap.

3o2w-QKKoVQkSLJQxipoy_qHUfO3vTs3Yp8fIGdM

Tecnologia iCap: todo o poder das microcápsulas de Demand

A somatória de todos esses fatores levou a Syngenta a criar uma microcápsula que otimiza a distribuição do produto em áreas tratadas e maximiza a aderência e a exposição dela ao inseto-alvo, enquanto protege o princípio ativo das condições adversas do ambiente.

O resultado é Demand CS, uma referência no mercado brasileiro pelo seu longo efeito residual. O inseticida é produzido com a exclusiva tecnologia iCap, em que microcápsulas de parede dupla são construídas ao redor do princípio ativo Lambda-cialotrina: enquanto a camada interna esponjosa permite sua liberação no ambiente, a camada externa o protege de raios UV e pH extremos.

Com alta performance, a solução é flexível às diversas superfícies e conta com um excelente efeito residual, assegurando qualidade inigualável e suportando as atividades das empresas controladoras na melhor entrega para seus clientes.

 

V2iOQTEtUt6J6Ns4Vx50hvwe5ZwZPemzWa1r1OeK

Demand: comprovadamente efetivo em diversas superfícies

Testes realizados no laboratório Syngenta Brasil com o apoio de fotografias de microscopia de varredura mostram as microcápsulas robustas de Demand, ideais para o tratamento efetivo em diversas superfícies.

Na análise dos concorrentes A e B, considerados à base de Lambda-cialotrina microencapsulada, não é possível a visualização e a identificação de microcápsulas. No produto A, 50% das partículas presentes possuem até 2.53μm apenas, enquanto no produto B, 50% das partículas possuem até 2.35μm.

Os tamanhos abaixo do ideal indicam que os concorrentes listados apresentam baixa disponibilidade para entrar em contato com os insetos, sendo absorvidos rapidamente por superfícies porosas e prejudicando sua ação inseticida. 

* 1 micrômetro (μm) é igual a 1 milésimo de milímetro.