You are here

Share page with AddThis

Conheça mais sobre metodologias ineficazes no controle de baratas em ambientes internos.

Soluções
21.02.2019

Para que empresas tenham eficiência nos resultados, é importante não só o manejo adequado do ambiente e a escolha das melhores soluções para cada situação, mas também eleger a metodologia de aplicação mais apropriada.

Ambientes internos demandam um controle com cuidado especial, que resulte na preservação da saúde do local e das pessoas e animais que convivem nele. As técnicas de aplicação tem papel fundamental neste resultado desejado e precisam ser localizadas essencialmente onde há o problema. As aplicações generalizadas com a utilização de aparelhos inadequados para a situação, como os que são utilizados em tratamentos espaciais externos, ou mesmo com produtos domésticos prontos para o uso à base de gás com liberação total, podem ser de extrema ineficiência no controle de baratas em ambientes internos.

Há dois pontos principais que podem ser destacados:

  • Em aplicações generalizadas realizadas em ambientes internos sensíveis pode haver deriva de gotículas inseticidas para áreas indesejadas, com espalhamento do ingrediente ativo para diversas superfícies. Isto pode afetar pessoas e animais que entrarão no ambiente, mesmo após o período de reentrada, porque serão expostos ao tratamento realizado.
  • Esses tipos de aplicação tendem a não atingir os lugares em que as baratas de cozinha costumam permanecer, como a parte de baixo de superfícies e bancadas, frestas, fendas, rachaduras ou mesmo dentro de armários.

Em pesquisas realizadas pela Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, foi constatada uma eficiência maior no controle de infestações da barata de cozinha Blattella germanica em intervenções utilizando iscas atrativas em gel. O estudo aponta que esse tipo de aplicação se mostra muito mais eficiente quando comparada com a utilização de gás fumigador pronto para o uso, essencialmente utilizado como uma opção doméstica ao controle profissional de praga.

No mesmo estudo, foi mostrado que os resíduos inseticidas deixados pela casa, com esse tipo de fumigação, não se concentravam em locais por onde as baratas circulam, mas em superfícies elevadas, como bancadas, por exemplo.

Quer saber mais? A matéria com o estudo (em inglês) foi disponibilizada integralmente aqui: https://www.pctonline.com/article/nc-state-bug-bomb-study/.