You are here

Share page with AddThis

Syngenta oferece soluções para o manejo de roedores em instalações rurais

Profissionais
27.02.2018

Monitorar e controlar a infestação de roedores em instalações rurais a partir de um manejo integrado devem ser ações de primeira ordem para as atividades de avicultura, suinocultura, pecuária leiteira, entre outras. Responsável por até 70% de perdas no setor hortifrutigranjeiro, os roedores são capazes de consumir cerca de 10% do seu peso por dia, perturbar animais, além de possuir alto potencial de transmissão de graves doenças, como leptospirose, hantavirose e salmoneloses.

SINAIS DE ROEDORES NO AMBIENTE
O aparecimento destes sinais está diretamente relacionado com o grau de infestação no local. Fique atento à presença de trilhas, fezes e urina pelo ambiente, consumo de alimentos, danos às embalagens etc. Confira a tabela abaixo:



MANEJO INTEGRADO DE ROEDORES
Geralmente adotar uma única medida, como o uso de armadilhas ou a aplicação de iscas raticidas, não é suficiente para oferecer uma solução duradoura para um problema com roedores. Com o manejo integrado, várias ações são tomadas para solucionar a infestação do local, como remoção de abrigos e alimentos que possam atrair roedores, a constante limpeza e organização do local, bem como o bloqueio de acesso e monitoramento do nível das infestações.

MEDIDAS DE CONTROLE
O portfólio da Syngenta contempla os produtos das linhas Klerat e Talon. Tratam-se de produtos de alta atratividade em campo e formulados com um princípio ativo que, a partir de pesquisas e estudos in loco, se confirmou como o mais efetivo do mercado. Além disso, como esses produtos não possuem ação imediata – atuam dentro de 3 a 7 dias após a ingestão da dose letal - os roedores não associam o consumo da isca ao controle de indivíduos, o que permite que os demais continuem consumindo o raticida. Além disso, possuem alta atratividade para as principais espécies de roedores quando comparado a outros produtos do mercado.